Barcelona – Espanha

IPHONE 718

Sagrada Família

Primeira parada: Barcelona!

Ouve junto aqui e viaja comigo!

Barcelona é  capital da Catalunha, região leste da Espanha cujo idioma oficial é o catalán. O castellano é segunda língua! A segunda maior cidade espanhola é banhada pelo Mar Mediterrâneo.

Curioso que na época em que estivemos lá estava tendo um Referendo de independência da Catalunha, região que há décadas tenta ser independente e tem até idioma próprio, o catalão, como mencionei no post de introdução deste roteiro. Scaneei o panfleto de divulgação que colocaram na caixa do correio. “Mucho ruido, pocas nueces”, o governo federal não oficializou e a votação foi portanto, informal:

digitalizar0002

Versão em catalão.

Estivemos lá por 3 dias no início de nov/14, pouquíssimo tempo pra uma cidade completa dessas que merecia ao menos 7 dias. A média da temperatura foi de 15º. À noite a temperatura caía.

O aeroporto fica a 12 km do centro. Há um ônibus especial, mas como estávamos em 4, fizemos tudo de táxi, que custou €32.

Onde ficar:

Ficamos hospedados no Raval, neste apê: https://www.airbnb.com.br/rooms/2406072. E meus sogros ficaram num hotel quase na esquina, da rede ACTA.

Veja Room Mate Emma, e outros da cadeia Room Mate (adoro esses hotéis que têm o nome acrescido do dono): Gerard, Carla, Pau e Anna.

Nós 4 tomávamos café da manhã em nossa casa todos os dias. E dá-lhe jamón!

Outros bairros recomendamos para se hospedar, segundo Ricardo Freire: Raval, Eixample e El Born (hotel); Eixample e El Born (apto). Veja este link: http://viajeaqui.abril.com.br/vt/blogs/achados/12-hoteis-bons-bonitos-baratos-e-bem-localizados-em-barcelona/

Achei a localização ótima! Perto de tudo e cheio de mercados pra comprar frutas, padarias deliciosas. Dá pra ir a pé pras Ramblas, pro Porto, bairro Gótico, etc. Ponto de ônibus pro Parc Guel ficava numa avenida ao lado.

Onde comer:

IMG-20151218-WA0020

Mercat de la Boqueria (my sister se esbaldando)

Melhor restaurante: Imprevist (Ferlandina, 34). Pegamos a dica desse lugar no aplicativo do YELP e fomos a pé. De toda viagem, este foi o TOP 1. Fomos muito bem atendidos, mas esqueci o nome da pessoa, que pena! Quique, talvez. Sua esposa se chama Nuria e também trabalha lá. De entrada pedimos “Coca de recapte” que é típico catalão, uma espécie de massa fina de pizza recheada com alcaparrones, azeitonas, pimentão vermelho e berinjela, ao forno. Orgia gastronômica acompanhada de garrafas de vinhos catalães, uva tempranillo. ¡Bienvenidos a Barcelona!

64384_10152377570591640_9090364771703471908_n10678842_10152377570581640_5654179645172004981_n1477499_10152377570486640_4183569626765903142_n

Comer paella em BCN: O prato nasceu em Valência. A receita original, a paella valenciana, leva frango e coelho. Já em Barcelona, faz sucesso a paella marinera, à base de peixes e frutos do mar. Não coma paella nas Ramblas pois é tudo congelado e ruim. Li em algum blog (perdi a fonte) os 10 melhores: Envalira (Plaça del Sol, 13); La Mar Salada (Pg. Joan de Borbó, 58-59); El Suquet de L’Almirall (Passeig de Joan de Borbó, 65); Les 7 Portes (Pg. Isabel II, 14); Elche  (C/ Vila i Vilà, 71;) Cheriff (Ginebra, 15) e Los Caracoles (C/.Escudelleres, 14), onde fomos.  Fica no coração do Bairro Gótico e o lugar em si já vale a visita. O restaurante se divide em várias salinhas forradas de azulejos e a cozinha à moda antiquíssima fica no meio de tudo:

IPHONE 702

Nossos pratos. Entradinhas e paella:

entradas caracoles

O que fazer:

Dica geral: em nenhum lugar senti necessidade de ter comprado ingresso antes pela Internet. Seria ideal verificar horários pois alguns lugares fecham pra siesta.

Park Güell:  Eusebi Güel foi um milionário industrial barcelonense nascido em 1846 que tinha como seus arquitetos prediletos, Joan Martorell y Antoni Gaudí. Este último recebeu a encomenda de construir este parque em 1900. Durante muito tempo a família morou ali, no lugar onde hoje está a escola pública. Gaudí também morou por um bom tempo em uma das 2 casas do complexo. Site: http://www.parkguell.cat/

IMG_8807

IMG_8845

IMG_8799 IMG_8782 IMG_8772 IMG_8730 IMG_8721

12645202_10153863069022086_5531434682886550335_n

Foto da minha irmã Aninha, ela na foto.

Para chegar, o metrô é fora de mão, melhor pegar o ônibus 24. Fiquei no Raval e o ponto era super perto. O trajeto do ônibus é bacana, passando pelo Paseo de Gracia. Creio que durou 20-25 minutos.

IMG_8710

En el autobús.

É legal ir no primeiro horário, pois o parque enche. Você pode combinar o passeio com uma visita à Casa Vicens (http://www.casavicens.es/), residência construída para a família de outro rico industrial e um dos primeiros trabalhos importantes de Gaudí. Não dá pra entrar, pois trata-se de imóvel residencial, mas vale só de apreciar de fora cada detalhe. Se não quiser ir a pé,  são €5 um táxi do parque até lá .

digitalizar0003

Foto de 2003.

Combine o Parque Guell também com o Paseo de Gracia, avenida glamourosa, onde estão, por exemplo, quatro obras de Gaudí. O táxi do parque à Casa Milá (ou Pedrera), custou €7,20. https://www.lapedrera.com/

O prédio de 8 andares foi encomendado a Gaudí, então com 54 anos, para residência familiar dos Millá e também para aptos que alugariam. O conjunto de apartamentos, iniciado em 1906, não possui nenhuma parede reta em sua estrutura. Um dos pontos altos da Pedrera, assim conhecida porque parece uma, é o telhado com vários dutos de ar e chaminés esculpidas, que por parecerem guerreiros assustadores, são chamados de espanta bruxas. Me arrependi de não ter subido. Ai, a falta de tempo!

Foi o último trabalho de Gaudí antes de se dedicar à Sagrada Família.

IMG_8872 IMG_8862

IMG_8866

De lá você caminha até a Ilha da Discórdia, um quarteirão com 3 edifícios modernistas de variados estilos assim chamado pela chocante “discussão” visual entre eles. São eles: Casa Lléo Morera, Casa Amatller e Casa Batlló, esta de autoria de Gaudí, e a que mais me fascina junto com a Sagrada Família.

IMG_8905 IPHONE 587

Casa Batlló: sua fachada é aquosa, com paredes cobertas de azulejos e sacadas de ferro em curvas, perfuradas por orifícios que parecem máscaras ou caveiras. O telhado em escamas foi pensado para lembrar um dragão, com São Jorge (padroeiro da Catalunha) como chaminé. O hall é revestido de azulejos azuis. (info: Guia Espanha da Folha de São Paulo)

IMG_8895 IMG_8893

IMG_8923  IMG_8968

IPHONE 583 IMG_8937

IMG_8959

No Paseo de Gracia paramos pra uma cervecita e uma boquinha e seguimos a pé até a Plaça de La Catalunya, passamos pelo Palau de la Música Catalana, onde tomamos um café em seu agradável bar. Na bilheteria compramos ingressos pra um show de flamenco no dia seguinte, presente da minha sogra. O lugar em si já é um espetáculo, um verdadeiro palácio, com uma claraboia de uma tonelada! Abre meia hora antes dos shows, para que os convidados possam apreciá-lo:

IMG_9014

O lindo café do Palau.

DSCN5075 Vejam mais: http://www.passaportebcn.com/palau-de-la-musica-catalana/

De lá fomos caminhando, descobrindo becos e ruelas, até chegar no Bairro Gótico. Carrer de l´ Amargor até Porte d´Angel, mais um café no “Cer el Cle”, um terraço com duas árvores que nos chamaram atenção. E pra nossa surpresa, era uma de azeitona e outra de madroño. A garçonete até nos deu uma fruta desta última para provar. Delícia!!

Este dia andamos pra caramba e caminhar assim, a esmo, pelo Bairro Gótico, foi um dos pontos altos de toda a viagem. Chegamos à Catedral Gótica, que fica na praça Seu e fecha para siesta, mas esperamos pra entrar sentadinhos nos bancos da praça. Valeu a pena, muito bonita! Vimos as letras BARCINO, nome que os romanos deram à cidade.

IPHONE 629

IMG_9074

Seguimos a pé até em casa passando pela Prefeitura (Ayuntamiento), Plaça Real e Museu de Arte Contemporânea (foto), projeto do arquiteto nova-iorquino Richard Meier:

IPHONE 696

Veja este  ótimo roteiro pelo bairro: http://www.passaportebcn.com/roteiro-barri-gotic/

Palau Güell: em 1886 Güell, o mecenas de Gaudí, confiou a ele a construção de sua nova casa, o Palau Güell, que fica na Carrer (rua em catalão) Nou de la Rambla, no centro da cidade. Muita gente vai à Barcelona e não conhece este suntuoso lugar com 16 chaminés surrealistas no telhado. Não dá pra não ir.

IMG_9328

DSCN5068 IPHONE 722IMG_9343  IMG_9319

Ao lado do prédio, havia um bar turco, pequeno e simples, mas meu sogro viu uma foto na porta de uns legumes na chapa, aguou e quis que quis entrar lá. E não é que tudo que comemos ali era de chuparse los dedos? Comemos pan con tomate, kebab, os tais legumes a la plancha e caña geladinha (chopp em espanhol). Abastecidos voltamos a pé pelas Ramblas.

Las Ramblas: avenida comprida, agitada 24h, com um calçadão largo para passear e alguns edifícios famosos como a Ópera Liceu, o mercado la Boquería e algumas mansões. Termina com o monumento a Cristóvão Colombo e por fim, no porto.

IMG_9377

IPHONE 645

Estátuas vivas das Ramblas. Lindas!:

IMG_9371 IMG_9381  IMG_9364

Compramos frutinhas no Mercado de la Boquería para ir mordiscando pelo caminho:

IPHONE 692 IMG_9127

Leiam: http://viajeaqui.abril.com.br/vt/blogs/achados/2009/09/15/como-nao-entrar-em-roubada-nas-ramblas-de-barcelona/

Port Vell: de casa viemos caminhando pelas Ramblas até chegar no porto. Na terraça do Museu Histórico da Catalunha é onde estão os cafés e restaurantes legais do porto e não no shopping, logo na chegada. Este centro comercial abriga também um grande aquário.

10300499_10152380346956640_5814908210974254080_nIPHONE 746 IMG_9401

Lá pegamos um táxi bicicleta, 5 por casal (pechinchando!), passeio super divertido, com um “motorista” gente boa explicando tudo que perguntávamos, como por exemplo, o que eram aquelas bandeiras em tantas janelas? E por isso descobrimos que o bairro da Barceloneta tinha sua própria bandeira.

IPHONE 754

Praia Barceloneta.

Ele nos deixou na torre onde pegamos o teleférico para Montjuïc. Só ida €11, ida+volta, €14,50. Pegamos só ida pois os planos era seguir para o show da Fonte Mágica, a que tem horário pra dançar. Saímos numa terraça com café, tomamos um suizo (chocolate quente espesso) com donuts e fomos embora de táxi pra casa pois já estávamos bem cansados. Mas é claro que o dia não terminou aí, pois depois da siesta saímos pra jantar, como todos os dias, amém!

IMG_9475 IMG_9456

IPHONE 758

IMG_9480

Torre Agbar à esquerda e Monumento a Colón, à direita.

1510428_10153785322232086_5941729022381780911_n

Foto da Aninha, ela na foto.

Sagrada Família: como não se emocionar diante deste monumento, uma das maiores belezas do mundo? Gaudí era super católico e deu “seu sangue” na construção desta igreja. Dizem que estava tão obstinado em sua criação que esta foi a obra de sua vida, onde viveu recluso por 16 anos. Gaudí, arquiteto de formação, não teve filhos e morreu atropelado por um bonde no caminho para a missa. Até hoje a igreja não está pronta, mas as obras continuam seguindo seu projeto inicial.

Um táxi de casa até lá foi 7 e chegamos rapidinho! Me disseram para comprar ingresso pela Internet com antecedência, mas comprei na hora mesmo, pois não sabia como estaria o tempo e não queria ter horário. Chegamos quase às 11h, abre às 9h, e a fila, ainda que compridinha, andou bem rápido. Havia várias bilheterias. Compramos também bilhete de visita às torres, são duas e eles vendem aleatoriamente, é a mesma coisa, mas não acho que valha a pena. A torre é estreita, a área onde a gente fica é restrita e ainda há uma filinha pra subir e pra descer. Você sobe de elevador, mas para descer há a opção da escada (tem foto abaixo). Eu descartaria esta parte! Mas se você tem dúvidas se entra ou não na Sagrada, não hesite, entre! E ela é pequena por dentro, você nem “perderá” muito tempo.

IMG_9205 IMG_9182 IMG_9146IMG_9262 IMG_9251 IMG_9232  IMG_9210  IMG_9175 IMG_9228IMG_9185

Veja o vídeo de como a Sagrada Família ficará em 2026, após o término das obras: https://www.youtube.com/watch?v=RcDmloG3tXU#t=81

E ainda tem Museu Picasso, Fundação Joan Miró, Tibidabo, Fonte Mágica de Montjuïc , Nou Camp (pra quem curte futebol)… ¡mogollón de cosas que hacer!!

Fiquei aguada de não ter podido ir a Tibidabo e à Torre Bellesguard e de ter perdido a dança da fonte Mágica. Fica pra uma próxima!

Filmes que se passam em Barcelona: “Vicky, Cristina Barcelona” (Woody Allen) http://www.imdb.com/title/tt0497465/ e “Albergue Espanhol” http://www.adorocinema.com/filmes/filme-33468/

VickyCristinaBarcelona_ Índice

Nosso mapa: https://www.google.com/maps/d/edit?mid=zADAcx_s-BBQ.kDg1jjgTAw44

Este post faz parte do nosso roteiro 15 dias na Espanha.

Para mais info da cidade, indico o blog “Passaporte BCN”: http://www.passaportebcn.com/

IMG_9025

10372271_10153775534307086_9195844300873602448_n

Fachada da Casa Comalat, feita por Gaudi. (foto da Aninha)

 

*todas as fotos, exceto as com créditos, são de nossa autoria.
 
 
Esta entrada foi publicada em Espanha e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *