Colônia do Sacramento – Uruguai

Colonia del Sacramento: cidade patrimônio cultural da humanidade

Com minhas irmãs!

Às margens do Rio da Prata

Estivemos aqui em jun/17. Este roteiro faz parte de Buenos Aires: o que fazer. Fizemos um bate-e-volta de Bs As, mas você também pode usar a cidade para um pitstop numa viagem que englobe Argentina e Uruguai!

Fundada por Portugal e disputada por anos pelas coroas espanhola e portuguesa, Colonia del Sacramento, apesar de uruguaia, está mais perto de Buenos Aires (a 50 km) do que de Montevidéu, que fica a 200km. Estando na capital argentina, basta atravessar o Río de la Plata e el aire cambia por completo. Por isso não se esqueça do passaporte ou RG com foto atualizada.

Vale a pena pernoitar? Sim!!

Nos apaixonamos por essa cidadezinha, queria ter dormido lá. Fomos no Buquebus rápido que saía às 9h com retorno às 16h, ou seja, permanecemos apenas 6h em Colonia! Muito pouco, gente! Como pegamos tour guiado e ainda almoçamos, foi a maior correria. Minha recomendação é não perder tempo com almoço se pegar o guia. Ou talvez o guia possa ser substituído por visitas mais demoradas aos museus para conhecer um pouco da história do lugar..

Colonia tem 26.300 habitantes e apenas 85 mil deles moram no centro! A maioria das casas do centro histórico foram vendidas por fortunas a estrangeiros. Isso nos contou o guia nativo com bastante tristeza por Colonia ter perdido sua tradição. Ele acha um desperdício o centro virar uma cidade fantasma às 20h, sendo que as praças poderiam estar ocupadas por festas ou movimentos culturais tradicionais.

Passei por essas pousadas que me pareceram interessantes, ambas no centro histórico e com o selo de excelência do Trip Advisor: Posada El Capullo (no caminho do Buquebus pro centro) e La Posadita de la Plaza (na Plaza Mayor), o dono é brasileiro e achei uma graça! Aliás, tudo lá é uma graça. Parece uma cidade de bonecas!

Posadita de la Plaza (Foto: http://www.viveruruguay.com/2015/08/dica-hospedagem-colonia-del-sacramento-la.html)

Qual moeda levar?

¡Buena pregunta!, porque antes de ir não achei essa info em lugar nenhum! Leve qualquer uma! É o lugar mais democrático para se pagar uma conta e isso eu achei muito legal. O guia local nos disse que tem dias que chega em casa e não tem uma nota de peso uruguaio no bolso, apenas reais, dólares, euros e pesos argentinos. 🙂 Todos os restaurantes apresentam os preços nas várias moedas e nas lojinhas pode-se pagar também com qualquer moeda. E isso tanto no centro quando fora dele. O único lugar que você deve pagar com pesos uruguaios é o combo ($50) de visita aos museus municipais. Troque então apenas este valor na casa de câmbio da estação do Buquebus.

Chegando de Buquebus:

Foto: Pinterest

A travessia em Buquebus, principal meio de transporte ao Uruguai, pelo Río La Plata no barco lento dura 3 horas e é mais barata, no mais rápido, com apenas 1h de duração, pagamos aprox. R$350 (bate e volta). Se você tiver tempo, for dormir lá, às vezes é mais vantajoso pegar o mais lento. O buquebus é muito confortável e tem freeshop dentro. Não é possível marcar assentos. Veja aqui horários e valores para um bate-e-volta (day tour) no buque rápido.

Chegue com antecedência porque é preciso passar pela imigração antes de embarcar. Digo isso porque fizemos bate-e-volta estando em Buenos Aires. Lá, a estação de buquebus fica em Puerto Madero, na altura da avenida Córdoba. Aliás, você faz duas imigrações de uma vez só. Em Buenos Aires, o oficial argentino carimba sua saída e encaminha o seu passaporte ao oficial uruguaio, que fica ao lado e carimba sua entrada. O mesmo acontece na volta.

[Colonia del Sacramento à beira do Río La Plata]

El Faro

O que fazer:

Pegue um mapa no balcão de informações da estação do buquebus e peça pra pessoa do balcão marcar nele os pontos de interesse.

Faz-se tudo a pé, até da estação ao centro histórico você vem andando beirando o rio. São menos de 10 minutos e uma caminhada muito agradável. Ai, que saudade!

Ver o pôr do sol! Por isso até vale a pena a pernoite!

As entradas das casas são enfeitadas por coloridas buganvílias, ali chamadas de Santa Rita, deixando a cidade com um ar ainda mais pitoresco.

Oficina de Turismo (posto de informações turísticas) está localizada na Puerta de la Ciudadela. Pagamos 150 pesos uruguaios pelo tour guiado com Don Carlos (ele é nascido lá e ótimo!)

Puerta de la Ciudadela: daqui sai o tour guiado, diariamente às 11h e às 15h (Foto do site: http://www.coloniadosacramento.com/o-clima-em-colonia/)

Como falei acima foram 100 anos de luta entre Portugal e Espanha para conquistar essa cidadezinha à beira do rio. Mas por que tanto interesse em Colonia se aqui não havia mais que pedras? Ora pois, por causa de sua localização estratégica na boca do Rio da Prata! E por que Rio da Prata se prata não tinha ali? Ah! Descubra lá.

[À beira d´água]

Colonia del Sacramento é patrimônio cultural da humanidade desde 1995. Seu centro histórico é uma mescla cultural arquitetônica portuguesa e espanhola e tem calçamento pé-de-moleque, o que faz muita gente compará-la à fluminense Paraty.

Os museus: são nove pequenos museus e fecham em dias diferentes pra sempre ter algum aberto. Dizem que se for pra escolher um, que seja o Museu Português, mas estava fechado quando fomos, numa 6ª-feira. Há um bilhete único que custa 50 pesos uruguaios que inclui visita a todos os museus municipais de Colonia. Único local que só aceita a moeda local e em dinheiro, cartão não! Veja quando fecham aqui! Todos funcionam de 11:15 às 16:45 h.

Museo Municipal Dr. Bautista Rebuffo, na Rua do Comércio

Calle de los Suspiros: rua tipicamente portuguesa. As últimas três casas da rua são inteiramente originais, das telhas às paredes espessas de pedras. Pedras que os escravos retiravam do fundo do rio da Prata. E esse nome lindo dessa rua? Um eufemismo para referir-se aos prostíbulos uruguaios inicialmente localizados ali. Ah!

Casa portuguesa: paredes com espessuras de 60 a 90cm

Nosotras en la Calle de los Suspiros

Farol: Construído em 1857 tem sua base sobre as ruínas do Convento São Francisco que pegou fogo em 1704. Tem vista 360º da cidade e panorâmica do rio. Também se enxerga Buenos Aires lá de cima. Outra opção para ver daqui o lindo pôr do sol!

O farol ao fundo

Divando! rs

Outros passeios: Bastión del Carmen (antigo forte); el muelle Puerto de Yates, deck de madeira e banquinhos com vista para os iates;  se você ainda não conhece uma, tem Plaza de Toros aqui, ainda que sejam ruínas, porque em 1912 deixou de funcionar devido a uma ordem do governo. Ainda bem! ¡pobres toros!

Basílica del Santísimo Sacramento, também conhecida como Igreja da Matriz

Árvore na Plaza Mayor

Onde comer:

Asado uruguayo en el Soy Gardel

Restaurante Don Pedro: Rosa Luna, diva vedete do carnaval uruguaio já morou nesta casa.

Achado: casa de chá Lentas Maravillas, delícia de lugar, funciona na casa dos donos, argentinos de origem inglesa. Você pode se sentar lá fora no gramado à beira rio ou dentro daquela acolhedora casa entre livros e xícaras fumegantes. Também tem comidinhas e doces! Simplesmente amei!!

Outras indicações: La Florida; Gibellini (fora do centro, simples, mas dizem que comida boa. Dica do meu muso viajante Ricardo Freire!) , Buen Suspiro, La Casa de Jorge Paez Vilaro – Art Gallery Restaurant, Café Marylin Deli Boutique.

[Achei bonitinho esse café “Queriéndote”que passei na porta. Fica de frente pra orla.]

Boca de Santo: hamburguer gourmet e cerveja artesanal numa casa do ano de 1800 restaurada por um casal arquiteto de Luján. Fica em frente à Puerta de la Ciudadela.

Restaurant del Ferrocarril: pelo que entendi fica no Museo del Ferrocarril. Foi comprado por uma inglesa e reformado. As mesas ficam nos vagões de trem. Disseram que é bem legal, mas não tivemos tempo.

Restaurante famoso lá por causa da decoração muito legal é “El drugstore“, com 2 carros antigos enfeitando a rua. Tem uns restaurantes ao lado que vendem sopinhas e massas que ficamos interessadas.

[El Drugstore]

Adoramos Colonia del Sacramento, quero voltar com meu marido para uma viagem in love!

Leia mais sobre Colonia, aqui! E já que estamos no Uruguai, leia meu post sobre Montevidéu, aqui!

Música e literatura: Ouça um poema de Eduardo Galeano, aqui, recitado por ele. Lindo demais! Outro escritor uruguaio talentosíssimo é o Mario Beneditti, adoro! Na música, sou super fã do Jorge Drexler. Ele sempre vem ao Brasil dar shows. Um encanto!

* todas as fotos são de nossa autoria, exceto as que levam créditos

Esta entrada foi publicada em Uruguai e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *